domingo, 8 de novembro de 2009

A minha primeira camisola de crochet

Olá amigas

Quem me segue desde o início sabe, porque já disse, que eu fui uma "expert" em tricot, mas quando no início do ano resolvi fazer uma camisola primaveril, descobri a dificuldade que tinha em decifrar os gráficos e acabei por fazer uma camisola de principiante e ainda foi a minha mãe, com 83 anos, que me rematou o decote, porque não fui capaz de me lembrar como se fazia.
Tenho pena de não ter fotos de algumas camisolas, casacos, o enxoval das minhas filhotas, desde casaquinhos, vestidinhos e muitas botinhas. Durante mais de 20 anos que os meus serões eram a fazer tricot, enquanto via televisão. Tinha tanta prática que conseguia fazer tricot a seguir um filme, as agulhas pareciam que eram autónomas, tal era a minha experiência.

Isto deve-se a mais uma sequelazita que ficou de 2 AVC's que tive aos 49 anos. Depois das sequelas imediatas que notei, que com muita força de vontade consegui reaprender, há algumas que vou notando ainda, como a dificuldade de concentração.

Apesar de tudo, nunca deixei de trabalhar, felizmente o meu trabalho é todo feito em computador, estive cerca de 2 meses a tentar voltar a fazer a minha assinatura, sozinha, quando não tinha nenhuma colega por perto, porque o problema é que não conseguia segurar a caneta na mão direita. Só contei ao meu marido quando já o conseguia fazer ...

UFA!!! Consegui desabafar com vocês.
Depois do desaire do tricot, fiquei em baixo, mas comprei uma revista de camisolas primaveris em crochet e resolvi tentar a sorte... e saiu este resultado que vos mostro.

Não sei ainda a vossa opinião, mas eu fiquei muito contente com o resultado. Estreeia-a no Dia da Mãe e o colar foi oferta da minha filha mais velha para fazer conjunto com a camisola.

Depois interessei-me pela decoupage, pelos pincéis, resolvi em Agosto tentar o ponto cruz, que não fazia há cerca de 20 anos, com muito medo de não ser capaz, mas tem corrido bem.

Quem sabe se o Destino não me apagou o tricot do meu "disco" para dar espaço a novas artes...
Se resolverem comentar, que seja com sinceridade. Sou uma mulher realizada, feliz, a tentar ser cada vez melhor no que faço e estou a adorar esta fase da minha vinda. Como também já vos disse: Renasci aos 50!

Depois de mais um desabafo aqui fica a camisola...


5 comentários:

Faniquito disse...

Oii amiga !!!

Estou muito impressionada com o que vc conta aqui.Vc teve o problema na minha idade atual e faço idéia do choque que foi.Mas a sua garra e determinação a vez vencer.O relato da escrita me tocou demais.

E que benção renascer aos 50....isso é privilégio de poucos.Tanto que no post acima, vejo uma garota toda bonita fazendo muitas estrepolias no quintal...quem diria ?!? Parabéns...parabéns!!! Que Deus te dê sempre muiiita saúde e força.

A tua blusa verde é liiiinda, o colar um must...agora que trabalheira essa das telhas, eu não aguentaria.Se bem que pelo resultado vale a pena.Tá bom, aguentaria um pouco!!! :)

Uma linda e anebçoada semana prá vcs

Beijinhos com carinho para uma guerreira

Ana

Rute G. disse...

Olá amiga
Adorei a camisola e a cor é uma das minhas favoritas,está realmente muito linda,parabéns.
Beijinhos e boa semana

Káthia Marchand disse...

Querida, vc é mesmo tão especial, e sabes disso não é?
Ao chegarmos aqui sentimos muito dessa sua luta e fico muito feliz em fazer parte do seu círculo de amizades.
SUA BLUSA É LINDA, AMO VERDES!

Beijinhos imensos

Noah disse...

Oi Helena,
Que bom que tive um tempinho para te visitar.
Que relato fantástico fizeste, sem dúvida, és uma pessoa de fibra, muita coragem e muita sorte pois venceste a crise, graças a Deus.
Teus trabalhos, todos, em qualquer técnica são maravilhosos.
Meu grannnnnnde abraço para você.

Vivi disse...

Existem coincidências na vida e esta é uma dela.Não sei como vim aqui parar, mas agradeço a Deus por te colocar no meu caminho. O pouquinho que li do teu cantinho, cativou-me, prendeu-me e dá-me vontade de de ler e ler para conhecer aos pouquinhos a MULHER de garra, de força, lutadora que renasceu aos 50 anos. A nossa idade deve ser idêntica e pelos vistos tens contornado cada obstáculo na tua vida, com muito positivismo e muita luta.
Sim, pelo que já li és uma guerreira, que não conhece a palavra desistir.
Foi muito mas muito bom ter vindo aqui parar. A vida tem destas coincidências e sim somos pessoas normais, que vivemos o dia a dia, com um sorriso ao lado de quem mais amamos, sem nunca baixarmos os braços.
Eu volto para te ler devagarinho.
Obrigada pelas palavras carinhosas, tocaram-me directamente no coração.
Beijinhos e um abraço apertadinho cheio de carinho.
Vivi (Maria)