quinta-feira, 11 de julho de 2013

Cada dia, um nascer do Sol, sempre igual ou diferente?

Bom dia a todas

Levanto-me com o nascer do Sol, às 8H tenho de estar no local de trabalho e não moro perto.

Há as rotinas de diárias, a higiene, o vestir, os transportes públicos e é aí que começo a pensar no que tenho pela frente... o que vou fazer primeiro, o que pode esperar, etc. Por vezes penso nas minhas artesanices também, hi, hi.

Ontem o dia começou da mesma maneira mas assim que cheguei ao trabalho tive um telefonema da minha mãe (falamos diariamente) e notei que a fala dela estava diferente, enrolada, presa e ela confirmou que estava a achar estranho. Combinámos encontrar-nos em S. José, não lhe disse nada, mas sabia que tinha havido um AVC...

No Hospital foi-me permitido estar ao pé da minha mãe e foi confirmado o AVC, mas havia necessidade de fazer análises, electrocardiograma e TAC e, consoante os resultados decidir se ficaria internada. Por ser mais confortável para ela optaram com o nosso consentimento em interná-la de imediato.

O dia foi longo, as peripécias foram muitas, mas felizmente a minha mãe já está em casa.


Esteve toda a tarde nestes claustros, mas o aspecto não era nada disto, esta foto já tem 4 dias. Ontem, estava a abarrotar, senhores do lado direito, senhoras do lado esquerdo, ao dentro “os supostos gabinetes” para médicos e enfermeiros trabalharem.

Tenho de realçar o profissionalismo dos diferentes trabalhadores, da médica de Medicina que nos atendeu, não só pela sua capacidade de diagnóstico, como pela sua simpatia, das enfermeiras/os, dos maqueiros dos administrativos e até dos polícias que estavam de serviço.

Quando tive de me separar da minha mãe e aguardar “por ali”, nada tinha para fazer a não ser pensar e observar.

O dia de ontem podia dar uma postagem XXL, mas quero somente destacar o desempenho do funcionário das Informações, um rapaz que tinha idade para ser meu filho, que mais parecia não ter dois braços, mas sim seis ou sete, atendendo os familiares dos doentes, sedentos de notícias, atendendo o telefone, encaminhado as pessoas, enquanto na sala de espera havia gritos, discussões, mas sempre sempre com um sorriso e uma simpatia que não tenho palavras para descrever.

O mesmo rapaz, que “descobriu” a D. Adriana (minha mãe), quando eu e o sistema informático tínhamos outra indicação do seu paradeiro. Foi simplesmente incansável. Eu agradeci-lhe e ele respondeu: é o meu trabalho, tenho de saber o paradeiro dos doentes e informar as famílias.

Não sei o nome de nenhum dos profissionais que conheci ontem. As fardas com identificação ainda não chegaram a este Hospital, mas isso é o menos relevante.

Sei que nunca o tinha visto, e não vejo alguma probabilidade dele ler esta postagem, mas ontem tive um anjo da guarda perto de mim, e foi ele. Numa certa altura fui perto dele e agradeci-lhe a 

Quem sabe, alguém que trabalha em S. José, lê isto, soma 2 e 2 e lhe diz como eu estou reconhecida? 
A net tão depressa é um mundo, como se transforma num quintal.


Fala-se em despedir 30 000 funcionários do Sector Público? Quais? Será que alguém sabe?

Será que um deles é este rapaz, 100%, profissional, mas com contrato a prazo e que quando terminar já não é renovado?

Será que é alguma das médicas que atendeu a minha mãe, com simpatia, carinho, sem pressas, dando-lhe toda a atenção, como se não existissem mais doentes?

Ou será a enfermeira que estava a falar com ela quando entrei no claustro, e ainda nos rimos, porque ela me disse que a minha mãe lhe estava a contar “alguns pecados” que fazia, mas afinal ela estava à espera de coisas mais graves, os “pecados” eram só uma sandes de chourição de vez em quando?

Ou será o polícia, que interveio quando um doente, após ter sido visto por Psiquiatria estava completamente descontrolado, a discutir “pr’o mundo” por causa do médico não lhe ter receitado nada. O polícia começou a falar calmamente para ele, ouvia-o, e o encaminhou-o na direcção da saída para não perturbar a Admissão dos Doentes?

Qualquer destes profissionais, e muitos outros igualmente bons podem estar na “corda bamba”.

Pensei muito ontem, mais que o habitual.

Falei há pouco com a minha mãe, continua na mesma, mas mais animada, diz que teve muita sorte com as pessoas que a atenderam.

Não é a primeira vez que partilho experiências, sentimentos, emoções, mas hoje fui um pouco mais longe. Achei que devia dizer que temos bons profissionais, que apesar de terem todos os motivos para andarem desmotivados, continuam a trabalhar com o mesmo afinco, vontade e também criatividade: não havia almofadas, o maqueiro pegou num lençol, deu-lhe meia dúzia de voltas e ficou uma almofada que colocou por baixo da cabeça da minha  mãe:
- desculpe, é o que tenho, fica bem?
- sim, se calhar até fico mais fresca.

Ontem foi o dia em que senti que o "copo esteve sempre meio cheio" em vez de "meio vazio".

Amanhã é um novo dia, com mais um nascer do sol, com um novo caminho pela frente.


Aproveitem cada momento, mesmo quando a vida nos prega partidas.

Beijinhos a todas e muito obrigada por estarem comigo

11 comentários:

Guida Machado disse...

Minha linda,tend toda a razão.
Espero que a tua mãe continue a melhorar e que não passe de "um susto".
Tudo de bom.
Beijinhos,
Guida

Álbum da Artesã disse...

Oi Helena
Li na íntegra teu depoimento.
Chorei viu?
Espero ter a sorte de tua maezinha quando eu precisar de pessoas para me atender quando ficar doente.
Espero que tua mãe fique melhor como minha cunhada que também sofreu AVC melhorou e muito e com sequelas bem levinhas frente ao que poderia ter acontecido.
Bj♥s

Mônica Duarte disse...

Oi, Helena, que bom que a sua mãe está bem. É muito difícil o envelhecer de nossos pais, a preocupação é uma constante, mas temos que respeitar a independência deles e de que tem vontade própria, que tem o direito de decidir sobre a própria vida,uma vez estando lúcidos. Meus pais também moram um pouco longe de mim e me sinto impossibilitada de dar-lhes uma melhor atenção. Procuro confiar em Deus porque sei que Ele guia e foi exatamente isso que Ele fez com vocês: colocou anjos para iluminar o atendimento à sua mã. Que bom que encontramos pessoas assim, não é? Dá-nos fé no ser humano que por tantos percalços anda meio abalada. Desejo tudo de bom para vocês, confie sempre em Deus pois Elesó age para o melhor. Grande abraço.

Maria disse...

Sim Helena...amanhã é outro dia...lamento muito pela tua mãe, como sabes a minha teve também em Maio um AVC muito grave de que se encontra a recuperar...Espero que tudo em breve se recomponha para ti e para ela..força...muita força!
Bjs
Maria

Ana Alexandra Figueiredo disse...

Um grande Beijinho e continuação das melhoras da tua mãe.

Karla disse...

Olá Querida Madrinha,
acabei de ler o teu post e não pude evitar uma lagrimita ou outra. Espero que tudo corra pelo melhor com a tua mãe ainda bem que os anjos estavam com ela e estou certa que estarão sempre.Ela vai recuperar rapidinho. Muita força que as bençãos dos céus continuem a acompanhar-vos.
Milhões de beijinhos
Carla

Teresa Isabel Silva disse...

Fico feliz que esteja tudo bem com a tua mãe! Imagino o susto que deve de ter sido!
É sempre bom descobrir que exostem bons funcinários e médicos competentes e responsáveis! Com a saude não se brinca!

Bjxxx

Adelaide Mesquita disse...

Olá Helena!
Lamento muito o que aconteceu à tua Mãe e espero que corra tudo tal como desejas.
Nesses sítios tanto se encontra bons profissionais e maus profissionais, como em todo o lado. O bom profissional, não importa o que faz, é aquele que se dedica a dar o seu melhor na sua profissão e em qualquer circunstância. É preciso ter sorte com quem nos calha, ei sto é o que costumo dizer! Espero que tenhas sempre a sorte que tiveste agora.
Beijinhos
Milai

Eunice Maria disse...

Querida amiga! Que bom que vocês têm um bom serviço público, com pessoas realmente com boa vontade e disposição para atender aos que estão enfermos. Espero que sua mãe se restabeleça e vocês voltem a partilhar o dia-a-dia com muita alegria e saúde. Grande beijo e uma excelente semana! Eunice Maria.
efacilserfelilz.artesanais@gmail.com
http://efacilserfelizartesanais.blogspot.com.br/

PINTA ROXA disse...

Olá querida.
Tambem a minha mãe já teve um avc, tambem eu estive lá "hospital" com ela, tambem havia macas por todo o lado, mas não posso reclamar dos funcionarios e enfermeiros.
Ontem foi mais um dia passado com ela no hospital chegamos antes das 10 saimos depois das 4. Só para lhe ser feito o TAC estivemos 3 horas a aguardar que fosse chamada, masi uma para fazer as analises, foi medicada viemos para casa e hoje já está um pouco melhor.
Resmungo pelo tempo perdido, mas nas hurgencias só tinham dois médicos sem mãos a medir e mesmo com muito boa vontade é trabalho a mais para aquela equipa...
Espero que a tua mãe continue assim a melhorar e que poucas vezes seja preciso recorrer a hospitais publicos, porque qualquer dia nem médicos lá temos.
Beijos

Evanir disse...

Fico imensamente feliz quando tudo
se encaminha para a luz do bem e da verdade.
Quando tudo , que eu acredito esta acontecendo comigo.
Eu vejo a luz no final
do túnel iluminando minha saída para um mundo
risonho e muito mais feliz .
Eu acredito na paz , que existe no amor
e na verdade.
Quando olhar à sua volta e só enxergar somente problemas,
busque a verdade, que esta dentro do seu coração.
Amigos verdadeiros é como anjos da guarda
enviado dos céus , todos criados por Deus.
Agradeço a Deus cada laço de amizade ,
que eu criei nesse mundo.
Hoje desfruto do amor e
da bondade de vocês.
Deus esteja sempre contigo
nessa caminha longa das nossas vidas.
Um abençoado final de semana,
beijos e meu carinho hoje e sempre ,Evanir.