sábado, 12 de julho de 2014

O último passeio...


Olá a todas


Foi no dia 27 de Junho que a minha mãe arranjou coragem para me deixar, e ir dar o seu último passeio.

Estive ao lado dela nas horas que antecederam a sua partida e constatei que estava muito calma, serena, e assim foi... da mesma forma serena e discreta como sempre a conheci e viveu a sua vida (e a vida dela não foi mesmo nada fácil...).



A foto seguinte foi tirada em Abril do ano passado. A minha mãe adorava flores e gostava muito de ser fotografada perto delas:

- tira-me uma aqui ao pé das roseiras;
- tira-me outra aqui ao pé dos brincos de princesa:
- já me tiraste alguma ao pé da estrelícia?
- tens a certeza que "apanhaste" as flores?

E eu respondia-lhe a brincar:
- apanhei mãe, não sei é se a apanhei a si...

- não faz mal, não se perde nada, estou cada vez mais velha, já nem devia tirar fotografias.

Superou a investida dum cancro invasivo que se manifestou há 20 anos na mama, tendo "voltado ao ataque" há 10 anos, desta vez nos intestinos. Enfrentou mais essa batalha e superou o "vilão". Continuou a fazer os exames de rotina para que ele não a apanhasse de surpresa. Não descurava a sua saúde.

Sempre muito ativa, todos os dias ia às compras, quando ia ao Hipermercado perto do local onde trabalho, visita-me para me dar um beijinho e trazer-me um miminho (um chocolate, umas bolachas).

Aos fins de semana gostava muito de ir visitar jardins, em Lisboa e nos arredores.

Vivia sozinha, muito independente, com uma parca reforma, mas a compra do passe, era um extra que ela não dispensava, para poder dar as "suas voltinhas", um extra que eu sempre incentivei.

Em Julho do ano passado teve um AVC, que superou.

Em Setembro, fraturou o colo do fémur e foi operada.

Em Outubro, ainda no Hospital teve dois enfartes, com uma semana de intervalo um do outro. Teve complicações, umas hemorragias, e levou 7 unidades de sangue.

Em Novembro fez fisioterapia e recuperou o andar. Voltou para casa e mesmo com dificuldade (o coração estava fraquinho) subia e descia os 43 degraus do 2º andar onde vivia.

Em Março deste ano, queixou-se de dores muito fortes na zona lombar e foram-lhe detetadas 2 vértebras partidas, tendo passado a usar um colete lombostático e passou a estar dependente até para fazer a sua higiene.

Com uma cabeça melhor que a minha, depressa se apercebeu que a senhora que lhe dava apoio, estava cada dia mais cansada e se ela lhe faltasse, o que seria dela e de mim?

Pediu-me que procurasse um Lar, simples, mas limpinho.

Essa é "outra história" que partilharei com vocês mais tarde.

Chegou ao Lar de S. Brás de Vila Nova, onde só esteve 15 dias, muito fraquinha e a necessitar de muitos cuidados, mas foi maravilhosamente tratada, com serviços de enfermagem, alimentação adequada e muito carinho. No espaço duma semana recuperou bastante, mas uma semana depois, uma infecção urinária veio visitá-la.

Foi prontamente levada para o Hospital de Abrantes, mas no espaço de poucas horas entrou em choque séptico e disseram-me que o estado dela era muito grave, foi-lhe detectada uma sepsis (septicémia).

Ficou internada e uma semana depois, numa das visitas que lhe fiz disseram-me que duraria umas horas, mas ela, resistente, durou 8 dias.

Sempre consciente, deixou de falar, mas comunicava com o olhar. Tinha duma respiração ofegante (dispneia), mas conseguia controlar a respiração quanto eu estava a falar com o médico  ou a enfermeira. 

Deu-me tempo para falar tudo o que tinha necessidade com ela, encostava-lhe o telemóvel ao ouvido para ela ouvir as netas e a respiração ficava normal naqueles momentos... enfim, com um coração fraquinho, mas com uma enorme força de viver. Deixou os médicos e as enfermeiras confusos, sem perceber como ela aguentava. 

No dia 27 (6ª feira) pediram-me que se pudesse fosse mais cedo... o estado dela era tão fraco que eles achavam que ela estaria somente à minha espera para partir.

Cheguei pelas 12 horas, mas ela só partiu às 18h30, à hora que eu chegava às 6ªs. feiras. 

Na minha opinião ela quis dizer-me:
- escusavam de te fazer sair do emprego, porque eu ainda tinha forças para esperar por ti.

Foste uma grande guerreira, mãezinha, mas os guerreiros também descansam e imagino-te tranquila, a rever pessoas que te eram queridas, mas também a zelar por nós.

Como alguém disse:
- aqueles que amamos e partiram
já não estão onde estavam,
mas em toda a parte onde estamos

Desculpem o desabafo, o "testamento", mas apesar do dia ter aparentemente corrido bem (a minha filha mais velha fez hoje 33 anos), senti um vazio tão grande... 

Um grande beijinho a todas vocês e desculpem a minha ausência nos vossos cantinhos, mas não sei quando ficarei "mais normal".


18 comentários:

Neldeni Gomes disse...

Olá Helena, sinto muito pelo acontecido..perder um ente querido é uma tarefa muito difícil e ainda sendo a mãe, li seu testamento como disse, adorei a foto da sua mãe me pareceu ser uma pessoa adorável..pois digo Helena nós temos um tempo determinado por Deus aqui e quando vence esse tempo partimos de um jeito ou de outro e assim a vida..Deus Abençoe a ti e todos os seus familiares e que conforte seus corações...bjs

Craft Room disse...

Helena que lindo relato e que grande privilegio ter tido esta mulher linda e corajosa como mãe! A saudade jamais irá embora, mas ficará um doce sentimento de gratidão por ter desfrutado de sua companhia por tantos anos.
Aceite minha solidariedade.
bjo
Denise

Trapinhartes disse...

Um grande beijinho neste momento menos fácil da vida.

www.trapinhartes.blogspot.com

Uniami disse...

Oi Querida,
É bom "vê-la" de volta.
Só posso te desejar muita FORÇA, PAZ e EQUILÍBRIO.
Beijos com carinho,
Lucia

Uniami disse...

Oi Querida,
É bom "vê-la" de volta.
Só posso te desejar muita FORÇA, PAZ e EQUILÍBRIO.
Beijos com carinho,
Lucia

Adelaide Mesquita disse...

Olá Helena!
Gostei muito de ler o que escreveste acerca da maneira de ser da tua Mãe. É exactamente isso que deves recordar e não os maus momentos que ela e tu passaste.
Um abraço e muita força.
Um beijo de parabéns para a tua filha (a minha é exactamente da mesma idade)
Milai

Guida Machado disse...

Sim, Lena, os que partem estão sempre no nosso pensamento mas, com o tempo, só lembramos os bons momentos, co todo o nosso amor.
Beijinhos, minha querida,
Guida

Guida Machado disse...

Sim, Lena, os que partem estão sempre no nosso pensamento mas, com o tempo, só lembramos os bons momentos, co todo o nosso amor.
Beijinhos, minha querida,
Guida

Betty HA disse...

Te dejo un gran abrazo... grande y dulce.

Una gran mujer tu mami, admirable y aguantadora como pocas.

La vida sigue su curso y tú jamás estas sola, recuérdala con este cariño que siempre le tuviste y piensa en todo aquello que te dijo para hacer de ti una gran mujer como ella.

Ánimo!

susylu disse...

Que tristeza amiga, es un gran vacio el que se siente cuando nuestra madre nos ha dejado :( te dejo un fuertisimo abrazo y espero pronto te encuentres mejor ♥

Eliane disse...

Minha amiga, te dou daqui um abraço bem apertado, e digo que sinto por sua perda, que sua mãe esta la encima cuidando de vc. Um beijo grande da Eliane.

balado disse...

Envio-lhe muita força e muita coragem. No ano passado o meu pai também esperou que eu fosse aí a Portugal para partir. Eu ainda ía a caminho quando ele deu entrada no Hospital de Caldas da Rainha isto no dia 7 de Julho e no dia 08 estava eu á espera para o ir visitar faleceu ás 14:20. Quando nos chamaram ele já não me pode ver nem ouvir. Foi um choque enorme. Mas sei que ele só foi á minha frente pois este caminho é para todos. As lágrimas caem-me de novo pela cara abaixo mas o meu coração está leve nada me pesa. Os nossos familiares como dizem os alemães não nos deixam só vão á nossa frente. Um grande beijinho e se olhar bem para alguma coisa das quais a sua mãezinha gostava vai ver que a consegue "ver" de novo. Que Deus esteja consigo

La casita de Maria Nancy disse...

Hola querida Helena, que hermosa MADRE has tenido, esa foto habla mucho de ella y su dulzura...siempre la recordarás con su fortaleza,con su amor, es un momento muy triste en la vida de los hijos despedir a los padres...te dejo un abrazo,mucha fuerza amiga...te esperaremos!

Aldora disse...

Helena não tenho palavras que a possam consolar mas tenho um abraço de carinho para si e família neste momento triste.
beijinho
Aldora

Mónica disse...

Sinto muito pela sua perda :( um beijinho de muita força

Vivi disse...

Minha querida amiga, deixaste-me lavada em lágrimas. Estive ausente tanto tempo que desconhecia completamente que a tua mãe tinha partido para o Céu. Hoje têm um Anjo da Guarda que vos protege com uma asas enormes.
Não foi só a tua mãe que foi uma grande guerreira, tu foste outra sempre ao seu lado passando por momentos, que só quem passa por eles, os consegue sentir na sua plenitude.
Lutaram juntas até ao fim e juntas venceram muitas batalhas.
Lamento de coração o que aconteceu. Sei que deves estar destroçada, mas lembra-te que a tua mamã foi apenas fazer uma viagem. Ela continua no meio de vocês, nos vossos corações, nas vossas memórias, continua presente em todo o lado.
Doi, eu sei que doi muito, mas tu és uma guerreira com uma família maravilhosa e juntos vão seguir em frente.
Com sinceridade por muito que escreva, sei que neste momento o teu sofrimento não absorve as palavras. Desculpa por não estar aqui quando precisaste, mas tu sabes que estive ausente tanto tempo, com momentos tão difíceis, que me afastei do mundo.
Parto quarta-feira de férias, mas se precisares de mim manda-me 1 e-mail. Com toda esta confusão perdi a passe do e-mail por onde falámos. Neste momento só tenho o do blogue.
sonhosdobau@gmail.com

Estás no meu coração, um grande beijo de parabéns atrasados para a filhota e um grande abraçinho muito apertadinho para ti Princesa.

PINTA ROXA disse...

Olá vim ver se havia novidades...
Espero que estejas um bocadinho mais animada. Beijinhos

ELENA disse...

Olá! como estas seguindo-me (obrigada) vim te conhecer.
Fiquei muito emocionada com este relato, escreves tão bem que me vejo dentro da situação.
Já se passou um tempinho, me pergunto, como estarás agora? A saudade demora para ser doce, mais esse dia vai chegar, tenha certeza.
Um abraço apertado!