quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Quem sou eu?


Olá a todas

Disse que voltaria em breve, mas menti-vos sem querer.

Pensei que estava melhor do que há uns meses atrás, mas não é verdade.

A mulher com ar frágil, que quando se via ao espelho, se via assim:


agora, vê-se assim: vê-se com olhos tristes, com ar pálido, com rugas... com muito mau especto.

O marido diz: concordo com os olhos tristes, mas isso há-de passar.
- quais rugas? As poucas que tens sempre tiveste, são de expressão.
- ar pálido? Até estás com ar bronzeado dos ares lá de cima...


Tivemos 15 dias de férias, que incluiram mudanças (tive de entregar a casa da minha mãe ao senhorio). Detesto mudanças e esta então...rrss... tantas lembranças, tantas recordações, tantas saudades.

Se pudesse tinha estalado os dedos e a casa da minha mãe saltaria inteirinha, minimizada, pada dentro de um dos meus anexos em Tomar, mas isso era impossível e tudo passou pelas minhas mãos, até o que inevitavelmente era para dar.

Foram dias que me pareceram intermináveis para darem depois lugar e um cansaço, a uma vontade de não fazer nada, a um grande vazio.

As "ditas férias" tiveram alguma coisa de bom: não precisei de me levantar às 6H da manhã como faço todos os dias, mas grande parte do tempo passei-as esticada na cama, no sofá, com o computador ligado, mas sem jogar, sem ir aos mails, muito menos aos blogs.


Voltei ao trabalho, sinto falta dos telefonemas que fazia parã a  minha mãe, depois para o lar, para o hospital...

Só saio da sala para fazer xi-xi, desejo que ninguém entre, só me apetece estar quietinha...

Tenho de trabalhar, mas preciso de me "zangar comigo" para  manter em dia.



Eu, que quando a minha mãe andava de luto, lhe tentava fazer ver que o luto está dentro de nós e não na roupa, apesar de sempre usar uma peça preta ou branca, quando ia a um funeral, mesmo que não fosse de ninguém chegado, por uma questão de respeito, de homenagem e foi o que fiz quando faleceu o meu pai e o pai da minha filha mais nova, agora ainda não consegui alargar o meu horizonte de cores, que está resumido ao preto e branco e, raras vezes, deixo o cinzento vir à rua.

Não tem nada a ver com "o socialmente correcto" (sempre fui literalmente o contrário), mas é como me sinto menos mal... parece que quanto mais escuro, mais invisível fico.

Nem sabem como estou a resistir para não alterar "o logotipo" (não sei como dizer), do meu blog, para a foto seguinte:


Não tenho feito telefonemas a ninguém, não tenho mandado mails, mas tem-me sabido bem quando me telefonam e quando me escrevem.

Foi por isso que hoje vim aqui: a minha afilhada e amiga Guidinha (http://aspetalasdamargarida.blogspot.comtem falado comigo e disse-me que tinha feito uma postagem e hoje fui ver... coitada, quantas postagens de trabalhos maravilhosos já ela tinha feito e eu sem ter visto nada, rrss.

Entrei pelo blogger e vi comentários, já com bastante tempo... desculpem todas. Muito, muito obrigada por ainda se lembrarem de mim.

Um beijinho especial para a querida Vivi (http://esquecimedeviver.blogspot.com) que também esteve ausente 8 meses, passando por um período terrível e assim que teve um ânimo se lembrou de mim.

Sei pela Guidinha que outras pessoas perguntaram por mim, me mandaram mails, que eu ainda não li... ainda não estou com vontade e não me quero pressionar.

Tenho saudades de vocês e de mim também, de ser aquilo que era, não me reconheço, não sei quem sou neste momento, e do pouco que sei, não estou a gostar mesmo nada, mas dizem que o tempo tudo cura e eu "vou dar tempo ao tempo".

Fiquem bem, sim? Muitos beijinhos

Muitos beiinhos

 

13 comentários:

Maria disse...

Querida amiga, espero que voltes em breve já com mais sossego no coração...entendo muito bem que nada te apeteça e muito menos falar ou escrever...Tudo de bom minha querida...aos pouco vais conseguir reagir...Abraço forte...cá te esperamos!!!!
Beijinhos muitos
Maria

PINTA ROXA disse...

Pois imagino/ou não.. (não perdi a mãe mas já perdi um filho...)como te sentes. quanto a andarem de preto se isso te faz sentir melhor continua, eu tambem sou dessa opinião, só andarei se assim me sentir bem. a minha mãe costuma dizer: --oh filha anda de vermelho se te apetecer mas mete-me flores na campa senão as pessoas ainda pensam. coitada da senhora devia ter sido muito má para ninguem lhe vir trazer uma florinha...
Faz o luto á tua maneira no tempo certo voltaras com força.
Beijinhos Pinta

Artes da Velha disse...

É bom dar tempo ao tempo ... não cura a dor, mas vai aliviando. Permita-se ao descanso e a fazer o seu luto à sua maneira ...

Cá a esperamos
Beijinhos

Maria Tavares disse...

Helena,

depois de ler esta publicação só posso dizer uma coisa que provavelmente já sabes. Só tu podes fazer alguma coisa por ti mesma por isso FAZ! Agora!
Beijinhos
Maria Tavares

Cida Lopes Artes e Idéias disse...

Que bom saber de voce querida dona da horta! Sabes que sou uma das abobrinhas de sua horta e que também estou a atravessar maus pedaços. Ja entrei em depressão após a morte do meu pai e de meus irmãos, graças a Deus ainda tenho minha mãe esta com 90 anos e saudável.Mas para atravessar estes pedaços de minha vida depois que os perdi; imaginava assim: De onde devem esta, devem ficar mais tristes ainda por me ver tão triste assim e não poder estar aqui para me puxar as orelhas! Então comecei a me policiar. Não quero que fiquem tristes e acredito que estão num excelente lugar, pelo carater e pelo ser humano que foram, assim como sua mãezinha e não quero fazer sofrer meus amores que ainda estão a minha volta. E assim brigando com o Srº Tempo, este vilão que de vez em quanto nos castiga, meu coração foi-se abrandando.
Sabe...aprendi a duras penas que não devo entristecer meus amores daqui nem os do outro lado da vida!
Deus esta conosco a cada minuto e tenho certeza que abrandara seu coração também.Bjs minha amiga de além mar!

Adelaide Mesquita disse...

Olá Helena!
Eu sei que é muito difícil reagir, mas por favor faça-o!
De certeza que a sua Mãe não gostaria de a ver assim.
Reaja um pouquinho todos os dias para seu bem e para o bem daqueles que lhe são queridos e que também de certeza que estão a sofrer por a ver assim.
Um abraço grande.
Milai

Guida Machado disse...

Lena,
Gostaria de ter uma varinha mágica para tu te sentires mais confortada. Mas não tenho...O tempo não apaga a dor, mas vais aprender a lembrar só os bons momentos que passaram juntas.
Estou sempre aqui para ti.
Um abraço muito apertadinho,
Guida

Yolanda U.C. disse...

Hola!, qué dificiles meses has tenido y cuanto tiempo aun falta para que te sientas bien. Toma muchos días y meses para que una acepte que han dejado un gran vacio. Te dejo un fuerte abrazo

Aldora disse...

Amiga volta para aqui, posta qualquer coisa, eu não vou desistir de vir aqui, mesmo que tenhas esta janela fechada eu venho a mesma bater aqui nos vidros por isso um grande beijinho
Aldora

Rincón del Punto de Cruz disse...

Amiga... nao desanimes!!!
Tens que encontrar forças de onde quer que seja.
Pensa que a vida continua mesmo com a perda de seres tao queridos.
Espero que o seu coraçao se cure rápido e voltes a publicar no seu blog.
Beijos.
Rosana.

O meu pensamento viaja disse...

Helena, este post é já antigo. Espero que, entretanto as coisas tenham evoluído para melhor!
desejo-te uma feliz semana.
Beijo da Nina

Aldora disse...

Olá Aboborinha linda vim ver a janelinha se estava com teias de aranha por a dona não lhe dar uso rsss .Helena nesta época do ano gostava de hibernar e acordar em Março ou por aí eu fico muito deitada em baixo nesta altura mas não é para isso que estou aqui. Estou para dar um Olá e enviar um abraço apertadinho força amiga que não tarda estamos em Março ou Fevereiro ou Janeiro já não falta muito.Beijinhos e Força amiga
Aldora

Aldora disse...

Passando só para deixar um beijinho
com o meu carinho